A desconsideração da personalidade jurídica com a pessoa jurídica de direito público e a responsabilidade pessoal do agente pela execução dos créditos trabalhistas

  • Vicente de Paula Maciel Junior Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Palavras-chave: Desconsideração da personalidade jurídica, Responsabilidade, Pessoa jurídica de direito público, Código de Defesa do Consumidor

Resumo

Neste artigo se analisa o instituto da desconsideração da personalidade jurídica com o objetivo de asseverar que a responsabilidade pelos atos praticadosem nome da pessoa jurídica deva recair sobre aqueles que se esconderam atrás da sociedade. A responsabilidade da pessoa jurídicaétambém estendidaàqueles que dela se utilizaram, administrando-a fora de suas finalidades estatutárias e legais. Analisa-se o grande avanço que atéagora não percebido foi que a redação do artigo 28 da lei 8.078/90 contém expressões inequívocas no sentido de revelar que a teoria da desconsideração da personalidade jurídica foi também estendidaàs pessoas jurídicas de direito público. Partindo de uma interpretação sistemática, o primeiro indício encontra-se na própria definição de fornecedor de produtos e serviços, no artigo terceiro do Código de Defesa do Consumidor. A definição de fornecedor no sentido de ele assim ser considerado como toda pessoa física ou jurídica, pública ou privada, nacional ou estrangeira e o conceito de serviço como “qualquer” atividade fornecida são confirmações de que o Código de Defesa do Consumidor submeteàs suas normas a União, o Estado, Municípios, autarquias e fundações. Verifica-se que, essa legislação especial não lhes é aplicável somente em parte, mas evidentemente em sua totalidade. Neste artigo se investiga como a seção da desconsideração da personalidade jurídica, que estáinserida no capítulo que regula a qualidade de produtos e serviços e previne a reparação de danos,éplenamente aplicável subsidiária ou analogamente aos entes de direito público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vicente de Paula Maciel Junior, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Biografia do autor:
Doutor em Direito Comercial pela Universidade Federal de Minas Gerais; Pós-doutor pela Università di Roma (La Sapienza); professor de Direito Processual dos cursos de graduação e pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais desde 2000; Desembargador Federal do Trabalho do TRT da 3ª Região; vencedor do prêmio INNOVARE 2021 na categoria juiz, com a prática: Processo Coletivo Eletrônico.

Referências

ALMEIDA, L.P. Moitinho de. Código de processo do trabalho anotado. Coimbra: Coimbra editora, 1997.

ALMEIDA, Lúcio Rodrigues de. O dano moral e a reparação trabalhista. Rio de Janeiro: Aide, 1999. 200p.

AROCA, J.Montero. Proceso laboral. Barcelona: J.M.Boschi Editor, 1997.

BARROS, Alice Monteiro de. Proteção à intimidade do empregado. São Paulo: LTR, 1997. 182p.

BARROS, Alice Monteiro de et alli. Compêndio de direito processual do trabalho. São Paulo: LTR, 1998. 872p.

CARDOSO, Álvaro Lopes. Manual de processo do trabalho. Lisboa: Livraria Petrony lda.

FERREIRA, Alberto Leite. Código de processo do trabalho anotado. Coimbra: Coimbra Editora, 1996.

GIGLIO, Wagner. Direito processual do trabalho. São Paulo: LTR, 1993. 616p.

GARCÍA, Ernesto de la Rocha. Práctica jurídica laboral. Granada: Editorial Comares, 1996.

GRAU, Antônio Baylos et alli. Instituiciones de derecho procesal laboral. Madrid: Editorial Trotta, 1995.

GONÇALVES, Aroldo Plínio. A ação civil pública na Justiça do Trabalho. São Paulo: Legislação do Trabalho e Previdência Social. Revista LTR, v.58, out.1994.

IANNIRUBERTO, Giuseppe. Il processo del lavoro rinnovato. Padova: Cedam, 1999. 288p.

LÓPEZ-PEÁEZ, Francisco Javier Gamero. La ejecución concursal laboral. Granada: Editorial Comares, 1996.

MACIEL JR., Vicente de Paula. Convenção Coletiva de Consumo. Belo Horizonte: Del Rey, 1996, 248p.

MANCUSO, Rodolfo de Camargo. Da defesa do consumidor em juízo. In: Comentários ao Código de Proteção do Consumidor. São Paulo: Saraiva, 1991.

MANCUSO, Rodolfo de Camargo. Interesses difusos: conceito e legitimação para agir. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1988, 216p.

MARINONI, Luiz Guilherme. Efetividade do processo e tutela de urgência. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 1994.

MARINONI, Luiz Guilherme. Novas linhas do processo civil. São Paulo: Malheiros, 1996.

MARINONI, Luiz Guilherme. Tutela específica. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000.

MARINONI, Luiz Guilherme. Tutela inibitória. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1998

MARINONI, Luiz Guilherme. Tutela antecipatória, julgamento antecipado e execução imediata da sentença. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999.

MARINONI, Luiz Guilherme. A antecipação da tutela. São Paulo: Malheiros 1999.

MARINONI, Luiz Guilherme. Tutela específica. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000.

MARTINS, Sérgio Pinto. Direito processual do trabalho. São Paulo: Atlas, 1993. 362p.

MELGAR, Alfredo Montoya et alli. Curso de procedimento laboral. Madrid: Editorial Tecnos S.A, 1995.

MOLINA, C.Ríos. La prueba de confesión en el proceso laboral. Barcelona: J.M.Bosch Editor, 1998.

NAVARRO, Joaquim Belmonte. Derecho procesal laboral. Madrid: Editorial Tecnos S.A, 1997.

OLIVEIRA, Sebastião Geraldo de. Proteção jurídica à saúde do trabalhador. São Paulo: LTR, 1998.

PEIXOTO, Bolívar Viégas. Estudos de direito processual do trabalho. Belo Horizonte: Censi, 2000. 526p.

SILVA, Antônio Álvares da. A prescrição do trabalhador rural após a emenda constitucional 28/2000. Belo Horizonte: RTM, 2001. 89p.

SOUZA, Sérgio Alberto de. Direito e processo do trabalho. Belo Horizonte: RTM, 1998.204p.

TESORIERE, Giovanni. Diritto processuale del lavoro. Padova: Cedam, 1999. 525p.

VALLEBONA, Antônio. Tutele giurisdizionali e autotutela individuale del lavoratore. Padova: Cedam, 1995. 158p.

VILHENA, Paulo Emílio Ribeiro de. Direito e processo do trabalho. Belo Horizonte: Del Rey, 1994. 526p.

Publicado
30-08-2023
Como Citar
Maciel Junior, V. de P. (2023). A desconsideração da personalidade jurídica com a pessoa jurídica de direito público e a responsabilidade pessoal do agente pela execução dos créditos trabalhistas. Virtuajus, 8(15), 195-211. https://doi.org/10.5752/P.1678-3425.2023v8n15p195-211