Literatura moçambicana e oralidade: uma postura crítica e uma fundamentação teórica

  • Rejane Vecchia Rocha e Silva FFLCH/Universidade de São Paulo
  • Ubiratã Roberto Bueno de Souza FFLCH/USP
Palavras-chave: Tradição oral Literatura moçambicana, Saberes endógenos, Culturas acústicas.

Resumo

Ao utilizar a expressão "tradição oral africana" fazemos referência direta a uma discussão de caráter teórico que mobiliza mais questões do que respostas. O presente artigo busca, a partir de alguns trabalhos recentes da antropologia e da arqueologia africana, fazer uma revisita teórica a alguns momentos da discussão acerca da existência de uma tradição africana e de uma oralidade africana, e, em seguida, discutir a aplicabilidade desses conceitos no interior da crítica literária moçambicana a partir de uma visada discrônica e histórica. O intuíto é obter subsídios para uma reflexão interdisciplinar de conceitos-chave para a compreensão dos diálogos interculturais que cercam a literatura moçambicana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Vecchia Rocha e Silva, FFLCH/Universidade de São Paulo
Professora Doutora pela Universidade São Paulo na área de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa. Graduada em Letras pela UNESP (1987) e História pela USP (1990) Mestrado (1994) e doutorado (2000) em Letras pela USP. Pós doutado pela UFBA (2002-2006) e pela Université Sourbonne (2014). É membro no Núcleo de Apoio à Pesquisa Brasil-África: Novos Horizontes (FFLCH/USP).
Ubiratã Roberto Bueno de Souza, FFLCH/USP
Graduação em Letras (2012) pela FFLCH/USP, mestrad acadêmico em Literaturas Africanas de Língua Portuguesa (2014) pela USP. Atualmente é doutorando no Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados de Literaturas de Lígua Portuguesa na mesma instituição.

Referências

ANDRADE, Mário Pinto de. Origens do nacionalismo africano. Lisboa, Publicações Dom Quixote, 1997.

BAGODO, Obarè. Saberes endógenos e desafios da modernidade científica: reflexões de um arqueólogo. In: HOUNTOUNDJI, Paulin (Org.). O antigo e o moderno: a produção do saber na África contemporânea. Luanda: Edições Mulemba, 2012.

BASTO, Maria Benedita. A guerra das escritas: literatura, nação e teoria pós-colonial em Moçambique. Lisboa: Vendaval, 2006.

BOTOYIYÈ, Geoffroy. O que pode a escrita? In: HOUNTOUNDJI, Paulin (Org.). O antigo e o moderno: a produção do saber na África contemporânea. Luanda: Edições Mulemba, 2012.

CABAÇO, José Luís. Moçambique: identidade, colonialismo e libertação. São Paulo: Editora Unesp, 2009.

CABAÇO, José Luís. A questão da diferença na literatura moçambicana. In: Via Atlântica, São Paulo, n. 7, 2004.

CAHEN, Michel. Luta de emancipação anti-colonial ou movimento de libertação nacional? Processo histórico e discurso ideológico – o caso das colônias portuguesas e de Moçambique, em particular. Africana Studia, Porto, n. 8, 2005.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2013.

CÉSAIRE, Aimé. Cultura e colonização. In: SANCHES, Manuela Ribeiro (Org.). As malhas que os impérios tecem. Lisboa: Edições 70, 2011.

HAMPÂTÉ-BÂ, Amadou. A tradição viva. In: História geral da África, I: Metodologia e Pré-História da África (ed. Jospeh Ki-Zerbo). Brasília: UNESCO, 2010.

HOUNTONDJI, Paulin. Conhecimento de África, conhecimento de africanos: duas perspectivas sobre os estudos africanos. In: Revista Crítica de Ciências Sociais, São Paulo, n. 80, 2008.

KI-ZERBO, Joseph. Introdução geral. In: História geral da África, I: Metodologia e Pré-História da África. Brasília: UNESCO, 2010.

LOPES, José de Sousa Miguel. Cultura acústica e cultura letrada: o sinuoso percurso da literatura em Moçambique. In: LEÃO, Ângela Vaz (Org.). Contatos e ressonâncias: literaturas africanas de língua portuguesa. Belo Horizonte: PUC Minas, 2003.

MALOA, Joaquim Miranda. O lugar do marxismo em Moçambique. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, n. 122, jul. 2011.

MONDLANE, Eduardo. A estrutura social – mitos e fatos e Resistência – a procura de um movimento nacional. Trechos de Lutar por Moçambique (1995). In: SANCHES, Manuela Ribeiro (Org.). As malhas que os impérios tecem. Lisboa: Edições 70, 2011.

NAPOLITANO, Marcos. Arte e Revolução: entre o artesanato dos sonhos e a engenharia das almas (1917 – 1968). In: Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 8, 1997.

Publicado
22-08-2018
Como Citar
Vecchia Rocha e Silva, R., & Bueno de Souza, U. R. (2018). Literatura moçambicana e oralidade: uma postura crítica e uma fundamentação teórica. Scripta, 19(37), 97-120. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2015v19n37p97
Seção
Dossiê temático: Literatura e oralidades