Interação didática: apontamentos (inter)culturais sobre o uso da palavra e a formação do sujeito aluno

  • Fernanda de Castro Modl Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)
Palavras-chave: Interação didática, Escolarização, Falantes e ouvintes, Intercultural, Uso da palavra.

Resumo

O objetivo deste trabalho é discutir sobre a interação didática como um dos contextos dialógicos e discursivos genuínos para a formação do sujeito em termos do uso da palavra em sociedade. Assumindo um olhar dialógico (VOLOCHÍNOV, 1929/1999) – interacional (MEAD, 1934/1962) e metodologicamente amparado em princípios da etnografia, são trazidas cenas de interação didática de dois grupos (um alemão e um brasileiro) de uma mesma etapa de escolarização, a fim de demonstrar que o uso da palavra em sala de aula, ou seja, o modo como professor e alunos se posicionam como falantes e ouvintes em seus dia a dia interacionais, está submetido a convenções culturais, tanto em termos de uma cultura escolar ocidental, quanto de uma cultura escolar local.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda de Castro Modl, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa (PUCMinas)

Mestre em Letras (PUCMinas)

Graduada em Letras Português/Inglês (PUCMinas)

Professora Adjunta Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)

Departamento de Estudos Linguísticos e Literários

Área Linguística Aplicada

Programa de Pós-Graduação em Letras: Cultura, Educação e Linguagens (PPGCEL)

Referências

BAPTISTA, Patrícia Rodrigues Tanuri. Capítulo 20 – O eu e o outro em interações ouvinte-locutor de rádio: um estudo da co-construção das identidades sociais. In: LOPES, Luiz Paulo da Moita; BASTOS, Liliana Cabral (Org.). Identidades: recortes multi e interdisciplinares. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2002. p. 365-388.

COELHO, Fernanda de Castro Batista. Construção identitária e(m)

comportamentos na sala de aula: o agenciamento da palavra em dois grupos (um alemão e um brasileiro). Tese (Doutorado em Linguística) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

DIXON, Carol N.; GREEN, Judith L.; ZAHARLICK, Amy. A Etnografia como uma lógica de investigação. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 42, p. 13-79, dez. 2005.

EHLICH, Konrad. Análise da Atividade Verbal. Tradução de Carmem Zink Bolognini. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, n. 21, p. 79-93, jan./jun. 1994.

ERICKSON, Frederick. What makes school ethnography “ethnographic”? Council on Anthropology and Education Newsletter/Antropology & Education Quarterly, Boston, v. 4, n. 2, p. 10-19, 1973.

ERICKSON, Frederick. Qualitative methods in research on teaching In: WITTROCK, Merlin C. (Org.). Handbook of research on teaching. 3rd ed. New York: Macmillan Publishing Company, 1990. p. 119-158.

ERICKSON, Frederick. Studying side by side: collaborative action ethnography in educational research. In: SPINDLER, George; HAMMOND, Lorie (Org.). Innovations in Educational Ethnography: theory, methods and results. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2005. p. 235-258.

GUMPERZ, Jenny; GUMPERZ, John. J. Communicative Competence in Educational Perspective. In: WILKINSON, Louise Cherry (Org.). Communicating in the classroom. New York: Academic Press, 1982. p. 13-26.

HOLLAND, Dorothy; LACHICOTTE, William Jr.; SKINNER, Debra; CAIN, Carole. Identity and Agency in Cultural Worlds. London: Harvard University Press, 1998.

KERBRAT-ORECCHIONI, Catherine. Análise da conversação: princípios e métodos. São Paulo: Parábola, 1996.

KLEIMAN, Angela B. Introdução. E um início: a pesquisa sobre interação e aprendizagem. In: Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 18, p. 5-14, jul./dez. 1991.

MATENCIO, Maria de Lourdes Meirelles. Estudo da língua falada e aula de língua materna: uma abordagem processual da interação professor/alunos. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2001.

MCDERMOTT, Ray; VARENNE, Hervé. Reconstructing culture in educational research. In: SPINDLER, George; HAMMOND, Lorie (Org.). Innovations in Educational Ethnography: theory, methods and results. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2005. p. 3-32.

MEAD, George H. Mind, self and society. Chicago: University of Chicago Press, 1962. Original publicado em 1934.

MERRITT, Marilyn. Distributing and directing attention in primary classrooms. In: WILKINSON, Louise Cherry (Org.). Communicating in the classroom. New York: Academic Press, 1982. p. 223-244.

MODL, Fernanda de Castro; RIBEIRO, Pollyanne Bicalho. Realinhamento Identitário do (futuro) professor: efeitos representacionais no e pelo relatório de estágio. Eutomia, Recife, v. 15, n. 1, p. 267-287, jul. 2015a.

MODL, Fernanda de Castro; RIBEIRO, Pollyanne Bicalho. (Re)Construção Identitária em movimentos de referenciação: representações sociais sobre o professor na formação inicial. Nonada, Porto Alegre, n. 24, p. 61-82, 1. sem. 2015b.

MOSCOVICI, Serge. Representações Sociais: investigações em psicologia social. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. Petrópolis: Vozes, 2004.

POWELL, Kimberly. Inside-Out and Outside-In: participant observation in Taiko Drumming. In: SPINDLER, George; HAMMOND, Lorie (Org.). Innovations in Educational Ethnography: theory, methods and results. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2006. p. 33-64.

SACKS, Harvey; SCHEGLOFF, Emanuel A.; JEFFERSON, Gail. A Simplest Systematics for the Organization of Turn-Taking for Conversation. Language, v. 50, n. 4, p. 696-735, Dec. 1974.

SATO, Leny; SOUZA, Marilene. Contribuindo para desvelar a complexidade do cotidiano através da pesquisa etnográfica em psicologia. Psicol. USP, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 29-47, 2001.

SIGNORINI, Inês. Figuras e modelos contemporâneos da subjetividade. In: SIGNORINI, Inês (Org.). Língua(gem) e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2001. p. 333-380.

SOBRAL, Adail. Que pesquisa? Qual ensino? Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 16, n. 1, p.237-260, jan./jun. 2013.

SPINDLER, George. Living and writing ethnography: an exploration in selfadaptation and its consequences. In: SPINDLER, George; HAMMOND, Lorie (Org.). Innovations in Educational Ethnography: theory, methods and results. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2005. p. 65-81.

VOLOCHÍNOV, Valentin Nikolaevich. Marxismo e Filosofia da Linguagem. Tradução de Michel Laud e Yara Frateschi Vieira. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 1999. Original publicado em 1929.

WILKINSON, Louise Cherry. Introduction: a sociolinguistic approach to communicating in the classroom. In: WILKINSON, Louise Cherry (Org.). Communicating in the classroom. New York: Academic Press, 1982. p. 3-12.

ZANDWAIS, Ana. Demandas da pesquisa e diálogos entre teoria e prática. In: LEFFA, Vilson; ERNST, Aracy (Org.). Linguagens: metodologias de ensino e pesquisa. Pelotas: Educat, 2012. p.13-26.

Publicado
28-01-2016
Como Citar
Modl, F. de C. (2016). Interação didática: apontamentos (inter)culturais sobre o uso da palavra e a formação do sujeito aluno. Scripta, 19(36), 117-150. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2015v19n36p117
Seção
Dossiê interação, formação e ação profissional