Relações entre aspectos fonéticos-fonológicos e escolaridade na acurácia ortográfica de consoantes nasais no Ciclo de Alfabetização

Palavras-chave: Consoantes nasais, Ortografia, Alfabetização

Resumo

Para investigarmos se a aquisição da ortografia de consoantes nasais sofreria influência de aspectos da estrutura silábica da língua e da seriação escolar, em produções textuais de crianças do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental, analisamos 7.190 possibilidades de registro dessas consoantes. Embasamo-nos no modelo hierárquico da sílaba e em parâmetros educacionais que regem esse Ciclo. Os resultados mostraram: (1) efeito da posição silábica sobre a acurácia ortográfica – maior em ataque silábico simples do que em coda silábica simples; e (2) efeito do ano escolar apenas na posição de coda silábica simples, especificamente em posição final – 1º ano com desempenho inferior comparado ao dos 2º e 3º anos. Embora apresentasse ancoragem em aspectos fonético-fonológicos da língua, a ortografia das consoantes nasais apresentou também ancoragem em aspectos ortográficos da própria classe, fato que aponta para uma relação não direta entre fala e escrita no que se refere à aquisição ortográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lourenço Chacon, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP, Marília (São Paulo), Brasil.

Professor da UNESP, campi de Marília e de São José do Rio Preto. Doutor em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.

Referências

BERNHARDT, B. M.; STEMBERGER, J. P. Handbook of phonological development from the perspective of constraint-based non-linear phonology. Califórnia: Academic Press, 1998, 793 p.

BISOL, L. A sílaba e seus constituintes. In.: NEVES, M. H. M. (org.). Gramática do Português Falado. Campinas: Editora da Unicamp, 2. Ed., v. 7, 1999, p. 701-742.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa. Ministério da Educação: Brasília (DF), 1997.

CAGLIARI, L. C. 1991. Alfabetização e Linguística. 10ª ed., São Paulo, Scipione, 191p.

CAGLIARI, L. C. 2007. Elementos de fonética do português brasileiro. São Paulo, Paulistana, 2007.

CERON, M.I et al. Factors Influencing Consonant Acquisition in Brazilian Portuguese-Speaking Children. Journal of Speech, Language and Hearing Research, v. 60, n. 4, p. 759-771, 2017. https://doi.org/10.1044/2016_JSLHR-S-15-0208

COSTA, T. The acquisition of the consonantal system in european portuguese: focus on place and manner features. 2010. 296 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, 2010.

FERRANTE, C.; BORSEL, J. V.; PEREIRA, M. M. B. "Aquisição fonológica de crianças de classe sócio econômica alta." Revista CEFAC, São Paulo, v. 10, n. 4, p. 452-460, 2008. https://doi.org/10.1590/S1516-18462008000400005

FIKKERT, P. M. On the Acquisition of Prosodic Structure. Dordrecht: HIL, 1994.

FREITAS, M. J. Aquisição da fonologia em língua maternal: a sílaba. In: FREITAS, M.J., SANTOS, A.L (org.). Aquisição de língua maternal e não maternal: Questões gerais e dados do português. Berlim: Language Science Press, 2017, p. 71-94.

GERMANO, G. D.; PINHEIRO, F. H.; CAPELLINI, S. A. Desempenho de escolares com dislexia: programas de intervenção metalinguístico e de leitura. Psicologia Argumento, v. 31, n. 72, p. 11-22, 2013.

GUARESI, R. et al. A consciência fonológica e o vocabulário no aprendizado da leitura e da escrita na alfabetização. Revista (Con)textos Linguísticos, v. 11, n. 18, p. 97-109, 2017.

HAUPT, C.; AGUIAR, P.G. Variações fonético-fonológicas e desvios fonológicos – um estudo de caso. Revista e-scrita – Revista do Curso de Letras da UNIABEU, v. 4, n. 2, p.12-25, 2013.

JAKOBSON, R. Child language, aphasia and phonological universals. Walter de Gruyter, 1968. https://doi.org/10.1515/9783111353562

KENT, R. D.; READ, C. The acoustic analysis of speech. San Diego: Singular Publishing Group, 1982.

LAMPRECHT, R. R. et al. Aquisição fonológica do portugués. Perfil de desenvolvimento e subsídios para terapia. Porto Alegre: Artes Médicas, 2004.

LAZZAROTO-VOLCÃO, C. O Modelo Padrão de Aquisição de Contrastes: Uma nova abordagem para o desvio fonológico. Veredas (UFJF), v. 16, p. 104-117, 2012.

LEMLE, M. Guia teórico do alfabetizador. 17. ed. São Paulo: Ática, 2009. 71p.

MEZZOMO, C.L. et al. Aquisição da coda: um estudo comparativo entre dados transversais e longitudinais. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, v.15, n. 3, p. 401-407, 2010. https://doi.org/10.1590/S1516-80342010000300015

SCLIAR-CABRAL, L. Princípios do sistema alfabético do português do Brasil. Editora Contexto, 2003.

SELKIRK, E. O. The syllable. In: HULST, F. V; SMITH, N. The structure of phonological representations. Dorddrecht: Foris, 1982, p. 337-379.

SILVA, B. C.; LORENZON, M.; BUBLITZ, G. K. “Ele não escreve, nem lê”: análise da consciência fonológica em crianças com dificuldades de aprendizagem. Revista Destaques Acadêmicos, v. 7, n. 2, p. 42-49, 2015.

WIETHAN, F.M; MOTA, H.B; MORAES, A.B. Modelo de correlações entre consoantes: implicações para a prática clínica. Revista CEFAC, v. 18, n. 5, p. 1151-1160, 2016. https://doi.org/10.1590/1982-021620161856716

Publicado
27-06-2023
Como Citar
Vaz, S., & Chacon, L. (2023). Relações entre aspectos fonéticos-fonológicos e escolaridade na acurácia ortográfica de consoantes nasais no Ciclo de Alfabetização. Scripta, 27(59), 181-208. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2023v27n59p181-208
Seção
Parte I. Ensino de leitura e escrita: contribuições e desafios na formação de pr