Osman Lins, a leitura subjetiva e o ensino de literatura

  • Carolina Duarte Damasceno
Palavras-chave: Osman Lins, A Rainha dos Cárceres da Grécia, Leitura literária, Leitura subjetiva

Resumo

A Rainha dos Cárceres da Grécia, de Osman Lins (1976), é, sem dúvida, um dos livros que melhor abordam a questão da leitura literária, em suas diversas facetas. Esse livro, em que o narrador escreve, em um diário, comentários sobre um romance nunca publicado desencadeia um leque de reflexões sobre a interpretação e sobre o importante papel desempenhado por quem lê na construção da obra de literatura. O propósito do artigo é mostrar como, ao colocar em movimento uma concepção mais criativa e identitária da leitura, o livro pode repercutir no ensino de literatura, dialogando com a leitura subjetiva, abordagem teórica francesa que se propõe a ressignificar o texto literário na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Referências

BARTHES, Rolland. O rumor da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BAYARD, Pierre. Como falar dos livros que não lemos? Rio de Janeiro: Objetiva, 2007

BEARDSLEY, Monroe; WINSATT, Willian. A falácia intencional. In: LIMA, Luiz Costa (org). A teoria da literatura em suas fontes. São Paulo: Civilização Brasileira, 2002.

BROOKS, Cleanth. The formalist Critics. In LEITCH, Vincent et al. Norton Anthology of Theory and Criticism. New York: Norton & Company, 2001.

BUTOR, Michel. La critique et l’invention. In: BUTOR, Michel. Répertoire III. Paris: Éd Minuit, 1968.

CARRIELO, Graciela. Jorge Luis Borges y Osman Lins: Poética de la lectura. Rosario: Laborde editor, 2007.

CARPEAUX, Otto Maria. Visão de Graciliano Ramos. In: Ramos, Graciliano. Angústia. Rio de Janeiro: Record, 1996.

CULLER, Jonathan. Teoria literária: uma introdução. São Paulo: Beca, 1999.

DAMASCENO, Carolina Duarte. A estreita relação entre leitura e identidade em A Rainha dos Cárceres da Grécia, de Osman Lins. Outra Travessia, Florianópolis, v. 14, p. 117-130, 2013.

HOMERO. A Odisseia. São Paulo: Editora 34, 2014.

GUMBRECHT, Hans. Sobre os interesses cognitivos, terminologia básica e métodos de uma Ciência da Literatura fundada na Teoria da Ação. In LIMA, Luiz Costa. A literatura e o leitor: textos de Estética da Recepção. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

ISER, Wolfgang. O Ato da Leitura: Uma Teoria do Efeito Estético. v. 2. São Paulo: Editora 34, 1999.

LANGLADE, Gérard. O sujeito leitor, autor da singularidade da obra. In LANGLADE, Gérard; REZENDE, Neide Luzia; ROUXEL, Annie (org.) Leitura subjetiva e o ensino de literatura. São Paulo: Alameda, 2013.

LANGLADE, Gérard. ROUXEL, Annie. Apresentação dos organizadores franceses. In LANGLADE, Gérard; REZENDE, Neide Luzia; ROUXEL, Annie (org.) Leitura subjetiva e o ensino de literatura. São Paulo: Alameda, 2013.

LINS, Osman. Do ideal e da glória: problemas inculturais brasileiros. São Paulo: Summus Editorial, 1977.

______ Guerra sem testemunhas: o escritor, sua condição e a realidade social. São Paulo: Ática, 1974.

______ A Rainha dos Cárceres da Grécia. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

_____ Um mundo estagnado. Recife: Imprensa Universitária, 1966.

JAUSS, Hans Robert. Pour une esthétique de la réception. Paris: Gallimard, 1978.

JOUVE, Vincent. A leitura como retorno a si: sobre o interesse pedagógico da leitura subjetiva. In

In LANGLADE, Gérard; REZENDE, Neide Luzia; ROUXEL, Annie (org.) Leitura subjetiva e o ensino de literatura. São Paulo: Alameda, 2013.

MÜNCH, Marc-Mathieu. L`effet de vie ou le singulier de l`art littéraire. Paris: Honoré Champion. 2004.

NITRINI, Sandra. Leitura da obra de Osman Lins: anos a fio. Cerrados, Brasília, v. 23, n. 37, p. 121-129, jan./jun. 2014.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Texto, crítica, escritura. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

REZENDE, Neide Luzia. Apresentação ao leitor brasileiro. In LANGLADE, Gérard; REZENDE, Neide Luzia; ROUXEL, Annie (org.) Leitura subjetiva e o ensino de literatura. São Paulo: Alameda, 2013.

ROUXEL, Annie. ROUXEL, Annie. Autobiografia de leitor e identidade literária. In LANGLADE, Gérard; REZENDE, Neide Luzia; ROUXEL, Annie (org.) Leitura subjetiva e o ensino de literatura. São Paulo: Alameda, 2013.

______ Mutações epistemológicas e o ensino da literatura: o advento do sujeito leitor.Revista Criação & Crítica, São Paulo, n.9, pp.13-26, nov. 2012.

SANTOS, Welligton de Almeida. Memórias da Rainha. In SANTOS, Wellington de Almeida. Outros e outras na Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: Ed. Caetés, 2001.

SUAREZ, Adriana Esther. Borges, Lins e a liberdade do leitor em A Rainha dos Cárceres da Grécia de Osman Lins. Revista Eutomia, Recife, Ano I – Nº 02, p. 294-306, 2008.

TAUVERON, Catherine. Direitos do texto e direitos dos jovens leitores: um equilíbrio instável. In LANGLADE, Gérard; REZENDE, Neide Luzia; ROUXEL, Annie (org.). Leitura subjetiva e o ensino de literatura. São Paulo: Alameda, 2013

TAUVERON, Catherine. La Lecture comme jeu, à l’école aussi. La Lecture et la culture littéraire au cycle des approfondissements. Anais.Versailles, CRDP de l’académie de Versailles, 2004.

Publicado
27-06-2023
Como Citar
Damasceno, C. D. (2023). Osman Lins, a leitura subjetiva e o ensino de literatura. Scripta, 27(59), 327-353. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2023v27n59p327-353
Seção
Parte II. Leitura em foco: o texto literário