A imagem da Alemanha em Guimarães Rosa como retrato auto-irônico

  • Paulo Astor Soethe Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Guimarães Rosa e Alemanha, Contos alemães de Ave, palavra, Guimarães Rosa diplomata, Anti-semitismo na era Vargas.

Resumo

O artigo a presenta  exemplos da recepção  da cultura  alemã por João Guimarães Rosa, com base em declarações do escritor  e documentos e anotações  disponíveis no Instituto de Estudos  Brasileiros  (USP). Problematiza a postura  assumida por Rosa diante da Alemanha, tendo em vista o fato biográfico de sua atuação como diplomata em Hamburgo, entre 1938 e 1942, e a clara remissão a esse fato em três contos publicados em Ave, palavra. As referências  sempre elogiosas à cultura alemã e a parcimônia nas manifestações sobre o nazismo, por parte de Rosa, são curiosamente suspensas nos aqui chamados "contos ale­ mães" ("O mau humor de Wotan", "A senhora dos  segredos" e "A velha"). Os  textos  são marcados  pelo olhar crítico  e a uto-reflexivo de um diplomata brasileiro e m Hamburgo, que nos três contos aparece como  narrador-personagem. Destaca-se aí o problema da concessão de vistos de imigração pelo Estado  brasileiro,  capítulo delicado  de nossa  história, vivi do de perto  pelo autor de Grande sertão: veredas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, Heloisa Vilhena de. Guimarães Rosa: diplomata. Ministério das Relações Exteriores: Fundação Alexandre de Gusmão, 1 987.

BOLLE, Willi. grandesertão.br. São Paulo: Editora 34; Duas Cidades, 2004. (Coleção

Espírito Crítico)

CARNEIRO, Maria Luiza Tu cci. O anti-se mitism o na Era Vargas. São Paulo: Perspec­tiva, 200 I.

FRANZBACH, Mart in. João Guimarães Rosa. In: EITEL, Wolfgang (Org.). Latei na ­

merikanisch e Literatur der Gegenwart. Stuttgart: Kroner, 1978. p. 156-169.

HOFMANN-ORTEGA LLERAS, Gabriela. Die Produktive Rezeption von Thomas Manns 'Doktor Fa ust us'. Ein zel texta nalysen zu João Guimarães Rosa, Clarice Lis­pector, Michel Tournie rund Da niele Sallenave. Heidelbe rg: Winter, 1995.

KUSCHEL, Kari-Josef. Os escri tores e as escrit uras. São Paulo: Loyola, 1999.

LIND, Georg Rudolf. Regi ona lism u s und Universalismus im Werk João Guima rães

Rosas. In: Germ a nisch-Romanische Monatssch rif t, Heide l berg, 21 (52), 3, p. 327-

, I 971.

MARTINS, N i lce Sant'Anna. O léx ico d e G uim arães Rosa. São Pau l o: Edusp, 2001. MEYER-CLASON, Curt. João G ui marães Rosa e a l íngua a lemã. I n: MEYER-CLA­SON, Curt. et al. Guimarães Rosa. Lis boa: ln s t. Luso-B rasileiro, 1969. p. 43-59.

M EYER-CLASON, Curt. João Guimarães Rosa und die deutsche Sprache. Staden­ Jahrbuch , São Paulo, v. 1 8, p. 75-87, 1970.

OTTE, Georg. O 'Diário Alemão' de João Guimarães Rosa- Relato de um projeto de pesq ui sa e m a ndamento. In: DUARTE, Lélia Pa rreira (O rg.). Veredas de Rosa II. Belo Hori zonte: PUC Minas, 2002. p. 285-290.

POHL, João Emanuel. Viagem ao interior do Brasil. 2 v. Rio de Janeiro: Instituto

Nacional do Livro, 1 951.

RAUSCHNING, Her m an n. Hi tler m'a dit: confidênces du Füh rer sur son plan de conquête dumond e. Paris: Coopé rati on, 1 939.

ROSA, João Guimarães. Ficção completa. 2 v. Ri o de Janei ro: Nova Aguilar, 1994.

ROSA , João Guimarães. João Guimarães Rosa: correspondência com seu tradu tor ale­ mão Curt Meyer-Clason: ( 1958-1967) . Org. Ma ria A. F. M. Bussolott i; trad. Erlon José Pasc hoa l. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Acade mia Bras il ei ra de Let ras; Belo Horizon­ te: Ed . da UFMG , 2003.

ROSENFELD, Werner. Guimarães Rosa und die deutsche Kultur. Staden-Jahrbu ch, São Pa ulo, v. 21/22 p. 21-33, 1973/ 74.

ROSSNER, Michael. "Literatura fa ntásti ca" in Brasilien? Die phantastische Kurzer­ zahlun g bei João Guimarães Rosa. In: PFEIFFER, Erna; UNO, Georg Rudolf (Org.). Canticum Iberi cum . Frankfurt/M.: Vervuert, p. 244-256, 1991.

SCHWADERER, Richard. Tradition und Innovati on in João Guimarães Rosas Roman

'Gran de sertão: veredas'. Iberomania, Tübin ge n, n. 12, p. 155- 1 74, 1980.

SOETHE, Paulo Astor. Ethos, corpo e entorno: sentido ético da conformação do es paço em Der Zauberberg e Grande sertão: veredas. Tese de doutoramento - Universida­de de São Pau lo, 1999.

SOETHE, Paulo. Guimarães Rosa, pintura e espaço literário. IN: COLÓQUIO 2000 PALAVRAS: O FUTURO DAS LETRAS, 2000, Pelotas. 2.000 palavras: as vozes das Letras. Pelotas: Programa de Pós-graduação em Letras/UFPel, 2000. p. 261-270.

SOETHE, Paulo Astor. Thomas Mann e Guimarães Rosa. In: KESTLER, Izabela Fur­ tado et. al . (Org.). Estudos Anglo-Germânicos em perspectiva. Rio de Ja n eiro, 2002. p. 29-41.

SPERBER, Suzi Frankl. Caos e Cosmos: leituras de Guima rães Rosa. São Pa ulo: Duas

Cidades, 1976.

VEJMELKA, Mareei. 'Grande sertão: ve redas' (João Gui marães Rosa) - 'Doktor Faus­ tus' (Thomas Ma nn): Kritik interkultureller Vermittlung und dialogische Lektüre. In: SEVILLA, Rafael; COSTA, Sérgio; COY, Martin (Org.) . Brasilien in der post natio­ nalen Konstellation. Tübingen: Zentr u m für wissenschaftliche Kommunikation mit Ibero-Amerika (CCC), 2003.

VEJMELKA, Mareei. João Guimarães Rosa "Grande sertão: veredas" und Thomas Manns "Doktor Faustus": ein interk u ltureller Vergleith unte r Berü cksichtigung von Rezeption und Übersetzung. Tese de doutoramento - Freie Universiüi.t Be rlin, 2003.

WILLEMS, Emilio. A aculturação dos alemães no Brasil. São Pa ulo: Companhia Edi­

tora Nacional, 1946.

WIMMER, Franz. Identitat und Perspektivitat: Orie ntierung von Einheit. In: FRAN­ CHESCINI, Rita (Org.). Biographie und lnterk ulturalitat: Diskurs und Lebenspra­ xis. Tübingen: Stauffenburg, 2001.

Publicado
13-10-2005
Como Citar
Soethe, P. A. (2005). A imagem da Alemanha em Guimarães Rosa como retrato auto-irônico. Scripta, 9(17), 287-301. Recuperado de https://seer.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/14102