A linguagem alegórica e a poesia épica cristã

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

José Adriano Filho

Resumo

Os métodos alegóricos de interpretação comuns à tradição literária greco-romana foram adaptados às Escrituras Judaicas durante os primeiros séculos da era cristã. A emergência gradual da exegese cristã neste período depende de mudanças de perspectivas mais amplas e mais profundas, associadas com três movimentos que se cruzam: judaico, platônico e gnóstico. Neste período, diante influência do cristianismo, ocorreu também a difusão da alegoria na épica e a interpretação alegórica em gêneros não épicos no contexto cristão ou pelo menos em contextos influenciados pelo Cristianismo. Considerando isto, este artigo apresenta a obra Psicomaquia de Prudentius (348-405 d.C.), um poema épico alegórico cristão que descreve uma série de batalhas entre virtudes e vícios em torno do domínio da alma humana, isto é, a vida humana traduzida como luta trágica entre o bem e o mal. A prática de introduzir personagens narrativas na épica, cujos nomes representam qualidades abstratas e cujas ações podem ser comparadas às ações dos heróis ou deuses, era um motivo épico comum explorado na literatura greco-romana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ADRIANO FILHO, J. A linguagem alegórica e a poesia épica cristã. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 16, n. 51, p. 1128, 31 dez. 2018.
Seção
Artigos/Articles: Dossiê/Dossier
Biografia do Autor

José Adriano Filho, Faculdade Unida de Vitória - ES

Doutor em Ciências da Religião e em Teoria e História Literária, professor da Faculdade Unida de Vitória - ES.