O fundamentalismo islâmico como forma de relativização do Estado: O caso do Boko Haram na Nigéria

Islamic fundamentalism as a form of State relativization: the case of Boko Haram in Nigeria

  • Lilian Madureira Teles
  • Marina D'Lara Siqueira Santos
  • Priscila Gualberto Soares

Resumo

O presente artigo busca analisar o fundamentalismo islâmico e o modo como a atuação violenta de grupos radicais relativiza o poder soberano dos Estados. Para tanto, em um primeiro momento buscamos analisar duas forças de relativização: a incivilidade e o processo de globalização, bem como suas consequências para a soberania estatal, que é colocada em cheque pela violência metapolítica. Em um segundo momento, analisaremos a formação e os objetivos do fundamentalismo islâmico, e como as práticas violentas de grupos fundamentalistas relativizam a noção moderna de Estado. Por fim, apresentaremos um breve estudo de caso do Boko Haram, considerado um dos grupos terroristas mais violentos do mundo. Veremos quais são seus objetivos, suas táticas de atuação, e como ele colabora para a perda de legitimidade do Estado nigeriano.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
16-08-2018
Como Citar
Teles, L. M., Santos, M. D. S., & Soares, P. G. (2018). O fundamentalismo islâmico como forma de relativização do Estado: O caso do Boko Haram na Nigéria. Fronteira: Revista De iniciação científica Em Relações Internacionais, 17(33), 7-21. Recuperado de https://seer.pucminas.br/index.php/fronteira/article/view/15723