Matizes de Cesário Verde na poesia brasileira do século XX

  • Telma Borges
Palavras-chave: Cesário Verde, Poetas brasileiros, Literatura Comparada, Tradição, Modernidade,

Resumo

Este ensaio analisa a relação do poeta português Cesário Verde com alguns poetas brasileiros do século XX, quais sejam: Felipe d´Oliveira; Aníbal Machado; Manuel Bandeira; Murilo Mendes e João Cabral de Melo Neto. A literatura comparada é o nosso vetor teórico, a partir do qual evidenciamos de que forma a tradição do novo, representada por Cesário Verde, é crítica e criativamente revisitada por esses diferentes poetas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BANDEIRA, Manuel. Mafuá do malungo: versos de circunstância. Rio de Janeiro: Livraria São José, 1954. Obra do Acervo Henriqueta Lisboa.

BARBOSA, João Alexandre. As ilusões da modernidade. São Paulo: Perspectiva, 1986.

BARBOSA, Osmar. (Org.). Poesias completas de Cesário Verde. Rio de Janeiro: Ediouro, 1987.

BAUDELAIRE, Charles. Poesia e prosa: volume único. Org. Ivo Barroso. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995.

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire: um lírico no auge do capitalismo. Tradução de José Carlos Martins Barbosa e Hemerson Alves Baptista. São Paulo: Editora Basiliense, 1989. Obras escolhidas, vol. III.

BONVICINO, Régis. “Contrariedades na língua portuguesa”. In: A palavra poética da América Latina: avaliação de uma geração. Org. Horácio Costa. São Paulo: Memorial da América Latina, 1992.

CALVINO, Italo. Seis propostas para o próximo milênio. 2. ed. Tradução de Ivo Barroso. São Paulo: Cia. das Letras, 1999.

Correio da manhã. Rio de Janeiro: 04 de junho de 1955.

D’OLIVEIRA, Felipe. “Desafinadamente”. In: Jornal do Comércio. Rio de Janeiro, 25 de dezembro de 1955.

FOUCAULT, Michel. A arquelogia do saber. 4. ed. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

LEFEBVRE, Henri. A Revolução Urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

MACHADO, Aníbal. “Último Festim”. In: Vida de Minas. Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 1915. Revista encontrada no Acervo de Escritores Mineiros.

MELO NETO, João Cabral de. Serial. Rio de Janeiro: Editora Sabiá, 1967.

MENDES, Margarida Vieira. (Org.) Poesias de Cesário Verde. Lisboa: Seara Nova/Comunicação, 1979.

PESSOA, Fernando. “A nova poesia portuguesa sociologicamente considerada”. In: Obras em prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1986.

RIMBAUD, Arthur. Poesia completa. Tradução de Ivo Barroso, 2. ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 1995.

RODRIGUES, Fátima. Cesário Verde: Recepção oitocentista e poética. Lisboa: Cosmos, 1998.

SCHNEIDER, Michel. Ladrões de palavras: Ensaio sobre o plágio, a psicanálise e o pensamento. Tradução de Luiz Fernando P. N. Franco. Campinas: Editora da UNICAMP, 1990.

VERDE, Cesário. O livro de Cesário Verde. 4. ed. Lisboa: Biblioteca Ulisséia de Autores Portugueses. Introdução de Maria Ema Tarracha Ferreira, 1995.

VERDE, Cesário. O livro de Cesário Verde. São Paulo: Editora Verbo, 1983.

Publicado
15-12-2011
Como Citar
Borges, T. (2011). Matizes de Cesário Verde na poesia brasileira do século XX. Scripta, 15(29), 161-179. Recuperado de http://seer.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4276
Seção
Dossiê: Literatura comparada