(Des)fazendo percursos do modernismo: revisão de conceitos

  • Ivete Lara Camargos Walty Cnpq
  • Paulo Roberto Tonani do Patrocínio UFRJ
Palavras-chave: Editorial

Resumo

O centenário da Semana de Arte Moderna, evento consagrado pela crítica canônica como marco fundador do modernismo brasileiro, faz-se momento oportuno para a produção de um revisionismo crítico do movimento e de conceitos que o sustentaram. Nacionalismo, colonialismo, antropofagia, identidade, em diálogo com seus contrários como cosmopolitismo, antropoemia e alteridade, formam uma espécie de seara conceitual que revela o diálogo entre o discurso contemporâneo e as produções modernistas. Mais do que uma inspiração ou uma possível apropriação de modulações críticas, a presença de alguns conceitos-chave do modernismo na contemporaneidade deve ser compreendida como uma espécie de resíduo das questões propulsoras do pensamento modernista brasileiro. Além disso, é igualmente possível ratificarmos que a busca de identidade nacional figura no centro de tais reflexões, sempre marcada por relações de poder de várias naturezas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivete Lara Camargos Walty, Cnpq

Pesquisadora CNPQ

Paulo Roberto Tonani do Patrocínio, UFRJ

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Referências

ANDRADE, Oswald de. O manifesto antropófago. In: TELES, Gilberto Mendonça. Vanguarda européia e modernismo brasileiro: apresentação e crítica dos principais manifestos vanguardistas. Petrópolis: Vozes; Brasília: INL, 1976.

ANDRADE, Oswald de. Por ocasião da descoberta do Brasil. In: Poesias completas. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1971, p.77.

AMARAL, Aracy. Artes plásticas na Semana de 22, 1970.

BELCHIOR, Antonio Carlos. Sujeito de sorte. In: Alucinação. 1976. Disponível em https://www.letras.mus.br/belchior/344922/ Acesso em 13 de novembro de 2021.

ARANTES, Paulo Eduardo. Sentimento da dialética na experiência intelectual brasileira: dialética e dualidade segundo Antonio Candido e Roberto Schwarz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

CANDIDO, Antonio. Nacionalismo e subdesenvolvimento. In: América latina em sua literatura. São Paulo: Perspectiva, 1979, p.343-362.

CANDIDO, Antonio. Nacionalismo: uma palavra instável. In: Folha de S. Paulo, 1995. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1995/8/27/mais!/27.html. Acesso em 13 de outubro de 2021

FIALDINI, Romualdo. Reprodução fotográfica da capa do programa da Semana de Arte Moderna de 22. Itaú Cultural. Disponível em: https://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra35328/capa-do-programa-da-semana-de-arte-moderna-de-22-autoria-de-di-cavalcanti.

Foto oficial da Semana de Arte Moderna da Periferia. Revista Época, Edição nº487, set. 2007. Disponível em: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG79089-6014,00-OS+NOVOS+ANTROPOFAGOS.html.

GUILHERME, Jair. Cartaz da Semana de Arte Moderna da Periferia 2007.Revista Época, Edição 487, em 14 set. 2007. Disponível em: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG79070-5856,00.html.

HOLLANDA, Heloísa Buarque de. Caminhos de um poeta cidadão. In: VAZ, Sérgio. Literatura, pão e poesia. História de um povo lindo e inteligente. Rio de Janeiro: Global, 2011.

PIGLIA, Ricardo. Uma proposta para o novo milênio. Tradução de Marcos Visnadi. Disponível em https://pt.scribd.com/doc/217564040/RICARDO-PIGLIA-Proposta-para-o-novo-milenio.

RANCIÈRE, Jacques. Políticas da escrita. Tradução de Raquel Ramalhete et al. São Paulo: Editora 34, 2017.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. Tradução de Ângela Leite Lopes. São Paulo: Editora 34, 2018.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Tradução de Mônica Costa Neto. São Paulo: Editora 34, 2009.

RAFFATO, Luiz. Receita para ser feliz. In: Ninguém em casa. Curitiba: Maralto, 2021, p. 94-95.

SANTIAGO, Silviano. O entre-lugar da literatura latino-americana. In: Uma literatura nos trópicos. Recife: CEPE, 2019, p. 9-30.

SANTIAGO, Silviano. Apesar de dependente universal. In: Vale quanto pesa. Ensaios sobre questões político-culturais. Rio de Janeiro: Paz e Terra,1980, p.13-24.

SANTIAGO, Silviano. Literatura anfíbia. In: O cosmopolitismo do pobre. Crítica literária e crítica cultural. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2004, p.64-73.

SANTOS, Boaventura Souza; MENESES, Maria Paula. Epistemologias do sul. Coimbra: Almedina, 2009.

SCHWARZ, Roberto. A carroça, o bonde e o poeta modernista. In: Que horas são? São Paulo: Companhia das Letras, 1987, p. 11-28

SCHWARZ, Roberto. Nacional por subtração. In: Que horas são? São Paulo: Companhia das Letras, 1987, p. 29-48

SCHWARZ, Roberto. As ideias fora do lugar. In: Ao vencedor as batatas, São Paulo: Duas Cidades, 1992.

SOUZA, Eneida Maria. Nacional por abstração. Revista Semear, 3, 1998. Disponível em http://www.letras.puc-rio.br/unidades&nucleos/catedra/seminari/sem_06.html. Acesso em 13 out. 2021.

VAZ, Sérgio. Manifesto da antropofagia periférica, outubro de 2007. Disponível em. https://diplo.org.br/imprima1967. Acesso em 13 out. 2021.

Publicado
11-01-2022
Como Citar
Walty, I. L. C., & Patrocínio, P. R. T. do. (2022). (Des)fazendo percursos do modernismo: revisão de conceitos. Scripta, 25(55), 9-26. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2021v25n55p9-26

Most read articles by the same author(s)