Indigestão colonial em alguns poemas da Revista de Antropofagia

  • Rodrigo Octávio Cardoso UFRJ
Palavras-chave: Modernismo, Globalidade, Angústia de influência, Ocidente, Poesia moderna

Resumo

Parte do projeto do modernismo brasileiro foi a afirmação de uma literatura nacional autêntica no espaço mundial da modernidade estabelecido como conjunto de Estados nacionais. Entretanto, a escrita do texto moderno foi marcada por aquilo que Denise Ferreira da Silva (2007) chama de globalidade, isto é, a atribuição de transparência ao sujeito europeu e de afetabilidade aos seus outros raciais, que ocupavam outros espaços. Essa separação se expressou como uma forma peculiar de angústia de influência em diversos textos literários modernistas que buscavam estabelecer sua autenticidade frente a uma tradição literária ocidental que, por sua vez, não os reconhecia. Neste artigo, proponho uma leitura de diferentes manifestações dessa angústia de influência e separação em alguns célebres poemas modernistas publicados originalmente na Revista de Antropofagia por Murilo Mendes, Mário de Andrade, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade e Oswald de Andrade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. Tradução de Denise Bottman. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

ANDRADE, Oswald de. A utopia antropofágica. São Paulo: Editora Globo, 2011.

BLOOM, Harold. A angústia da influência: uma teoria da poesia. Tradução de Marcos Santana. 2. ed. Rio de Janeiro: Imago, 2002.

CANDIDO, Antonio. A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Editora Atica, 1987a.

CANDIDO, Antonio. Literatura de dois gumes. In: A educação pela noite e outros ensaios. São Paulo: Editora Atica, 1987b.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos 1750-1880. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2013.

CANDIDO, Antonio. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011.

CARDOSO, Rodrigo Octávio. Colonialidade, transculturação e identidade nacional na antropofagia modernista. Entre Caníbales. Lima, vol. 2, n. 9, 2018.

CARDOSO, Rodrigo Octávio. A questão do primitivismo e a representação dos povos indígenas em Antonio Candido. Revista Criação & Crítica. São Paulo, n. 26, 2020, p. 55-70.

CARDOSO, Rodrigo Octávio. Políticas do primitivismo na América Latina: raça, nação e utopia em Amauta e na Revista de Antropofagia. Tese (Doutorado em Teoria e História Literária) - UNICAMP, Campinas, 2021. Disponível em http://www.repositorio.unicamp.br/acervo/detalhe/1231115. Acesso em 11 dez. 2021.

CHEAH, Pheng. Spectral Nationality: Passages of Freedom from Kant to Postcolonial Literatures of Liberation. Nova York: Columbia University Press, 2003.

DEL PICCHIA, Menotti. Matemos Peri. Correio Paulistano, São Paulo, 5 jan. 1927.

FERREIRA DA SILVA, Denise. Toward a global idea of race. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2007.

GLISSANT, Édouard. Introdução a uma poética da diversidade. Tradução de Enilce Albergaria Rocha. Juiz de Fora: UFJF, 2005.

GOMES, Heloisa Toller. A Questão Racial na Gestação da Antropofagia Oswaldiana. In: ROCHA, João Cezar de Castro; RUFFINELLI, Jorge (org.). Antropofagia hoje?: Oswald de Andrade em cena. São Paulo: É Realizações, 2011.

HAROOTUNIAN, Harry. ‘Modernity’ and the claims of untimeliness. Postcolonial Studies, [S. l.], v. 13, n. 4, p. 367-382, 2010.

JÁUREGUI, Carlos. Canibalia: canibalismo, calibanismo, antropofagia cultural y consumo en América Latina. Madrid: Iberoamericana, 2008.

MELO, Alfredo Cesar Barbosa. Antropófagos devorados e seus desencontros: da “formação” à “inserção” da literatura brasileira. Literatura e Sociedade, São Paulo, [s. l.], v. 21, n. 22, p. 42–54, 2016.

MORAES, Eduardo Jardim de. Modernismo revisitado. Revista Estudos Históricos, [s. l.], v. 1, n. 2, p. 220–238, 1988.

NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. São Paulo: Editora Perspectiva S.A, 2016.

O ATUAL momento literário. Correio Paulistano, São Paulo, 17 maio 1927.

QUEIROZ, Helaine Nolasco. Verdeamarelo/Anta e Antropofagia: narrativas da identidade nacional brasileira. 2010. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/VCSA-8MJJY6/1/disserta__o_de_helaine_nolasco_queiroz.pdf. Acesso em: 24 jun. 2020.

REVISTA DE ANTROPOFAGIA. In: PUNTONI, P; TITAN JR.; S (org.) Revistas do Modernismo - 1922-1929 - Edição Fac-similar. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, 2014.

SAKAI, Naoki. O Ocidente - uma prescrição ou proscrição dialógica. Remate de Males, [S. l.], v. 40, n. 1, p. 363-388, 2020.

SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos: ensaios sobre dependência cultural. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

SCHWARZ, Roberto. As idéias fora do lugar. In: SCHWARZ, Roberto. Cultura e política. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2009a.

SCHWARZ, Roberto. Nacional por subtração. In: SCHWARZ, Roberto. Cultura e política. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2009b.

STEPAN, Nancy Leys. The Hour of Eugenics: Race, Gender, and Nation in Latin America. Ithaca: Cornell University Press, 2015.

STERZI, Eduardo. Onde a Linha?. Boletim de Pesquisa NELIC, [S. l.], p. 22-27, 2011.

Publicado
11-01-2022
Como Citar
Cardoso, R. O. (2022). Indigestão colonial em alguns poemas da Revista de Antropofagia. Scripta, 25(55), 122-150. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2021v25n55p122-150