Princípios editoriais ou censura prévia: dialogismo e ideologia nas regras de utilização de redes sociais do Grupo Globo

Palavras-chave: Discurso midiático. Dialogismo. Enunciação. Ideologia. Princípios editoriais.

Resumo

A base do princípio dialógico bakhtiniano é a filosofia do diálogo e da relação social. E é nessas relações que o indivíduo não apenas se constituiu, mas também se altera, na convivência com outros e a partir da produção de enunciados, impregnados de significados e valores. Partindo de uma perspectiva discursiva, este artigo mobiliza os conceitos de dialogismo e enunciação (BAKHTIN, 2010, 2014) e ideologia (BAKHTIN, 2010) para analisar os princípios editoriais do Grupo Globo que pretendem orientar os jornalistas que atuam nos veículos do grupo sobre como devem proceder diante das redes sociais. O estudo caracteriza-se como exploratório, com cunho bibliográfico, mediante a análise de discurso. As categorias teóricas que fundamentam a análise são extraídas da teoria estudada: atitude responsiva ativa, autoria e acentuação valorativa. A análise empreendida autoriza a dizer que as diretrizes sobre o uso de redes sociais do Grupo Globo restringem a palavra e produzem o que se pode chamar de silenciamento de vozes destoantes dentre os profissionais, e que o enunciado é endereçado muito mais à opinião pública e ao mercado que aos colaboradores, necessariamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Joana Chiodelli Chaise, Universidade de Passo Fundo
Doutoranda em Letras pela UPF (2018). Mestre em Comunicação pela Unisinos (2010). Possui graduação em Comunicação Social - habilitação Jornalismo pela UPF (2002). Especialista em Gestão Estratégica de Marketing em Serviços e Varejo pela UPF (2005). Atualmente, é professora do curso de Jornalismo da UPF.
Ernani Cesar de Freitas, Universidade de Passo Fundo
Graduado em Letras - Português/Inglês e respectivas Literaturas, pelo Centro Universitário La Salle (1999), Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS, 2002), Doutor em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, área de concentração Linguística Aplicada (PUCRS, 2006), Pós-doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUC-SP/LAEL, 2011). Professor do PPGL e do curso de Letras, atua nas linhas de pesquisa "Constituição e Interpretação do Texto e do Discurso" e "Leitura e Formação do Leitor".
Patrícia da Silva Valério, Universidade de Passo Fundo
Graduada em Letras (UPF, 1994), Mestre em Letras (UPF, 2005), Doutora em Linguística Aplicada (UNISINOS, 2015). Professora do PPGL e do curso de Letras, atua na linha de pesquisa “Constituição e Interpretação do Texto e do Discurso".

Referências

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In:_______. Estética da criação verbal. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010. p. 261-306.

BAKHTIN, M./ VOLOCHINOV, V. N. (1929). A interação verbal. In:_____. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 16. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

BAKHTIN, M./ VOLOCHINOV, V. N. (1929). Língua, fala e enunciação. In: Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 2010.

BENETTI, M. O jornalismo como gênero discursivo. Revista Galáxia, São Paulo: n. 15, p. 13-28. 2008.

FARACO, C. A. Linguagem & diálogo: as ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. Curitiba: Criar, 2003.

FIORIN, J.L. Interdiscursividade e intertextualidade. In: BRAIT, Beth (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2010. p. 161-193.

FREITAS, E. PRODANOV, C. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

PONZIO, A. Signo e ideologia. In: PONZIO, Augusto. A revolução bakhtiniana: o pensamento de Bakhtin e a ideologia contemporânea. São Paulo: Contexto, 2008. pg. 109-161.

TRAQUINA, N. Teorias do Jornalismo. Por que as notícias são como são. Florianópolis: Insular, 2004.

Publicado
24-05-2019
Como Citar
Chiodelli Chaise, M. J., de Freitas, E. C., & Valério, P. da S. (2019). Princípios editoriais ou censura prévia: dialogismo e ideologia nas regras de utilização de redes sociais do Grupo Globo. Scripta, 23(47), 63-74. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2019v23n47p63-74