OS CAMINHOS QUE CONSTITUÍRAM A ALFABETIZAÇÃO E O PAPEL DO PROFESSOR NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

  • José Alex Trajano do Santos
Palavras-chave: Alfabetização. Métodos. Papel do Professor. Ensino/Aprendizagem.

Resumo

A alfabetização é imprescindível na vida de qualquer sujeito, sobretudo pela sociedade ainda ser fortemente grafocêntrica. Com isso, entende-se que o sujeito alfabetizado é posto em um status privilegiado no que se refere ao gozo de direitos e deveres, principalmente quando esses não são inerentes. No decorrer dos anos, suscitaram-se discussões diversas sobre os conceitos e os métodos de alfabetização, cujas variações encontravam-se e ainda se encontram no processo de aquisição da linguagem. O presente estudo tem como objetivo apresentar o surgimento da alfabetização e da escrita no mundo e articular o papel do professor no processo de ensino-aprendizagem da língua materna. A metodologia utilizada pautou-se em uma revisão bibliográfica sistemática, composta de diversos expedientes científicos, como artigos, leis e livros de pesquisadores renomados da área de aquisição da linguagem e suas correlações.

Referências

ALVES, R. In: BRANDÃO, C. R. (org.). O educador: vida e morte – escritos sobre uma espécie em perigo. São Paulo: Brasiliense, 1982.
ARENDT, H. A. crise na educação: III e IV. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1972. p. 247.
BARBOSA, J. J. Alfabetização e leitura. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2013.
BRASIL tem quase 1,4 milhão de crianças e adolescentes fora da escola, diz estudo do Unicef com dados do IBGE. Portal G1, 2020. Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2020.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 20 jan. 2021.
BRASIL. Constituição de 1824. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/consti/1824-1899/constituicao-35041-25-marco-1824-532540-publicacaooriginal-14770-pl.html. Acesso em: 20 jan. 2021.
BRASIL. Lei de 15 de outubro de 1927. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899/lei-38398-15-outubro-1827-566692-publicacaooriginal-90222-pl.html. Acesso em: 20 jan. 2021.
BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, D.F. 23 dez. 1996. Art. 37. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/L9394.htm Acesso em: 10 fev. 2020.
CAGLIARI, L. C. Alfabetizando sem o BÁ-BÉ-BI-BÓ-BU. São Paulo, 2009. Ed. Scipione.
CURY, A. J. Pais brilhantes, professores fascinantes. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.
FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 50. ed. São Paulo: Cortez, 2009.
FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se complementam. 23. ed. São Paulo. Autores associados: Cortez, 1989.
FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade. 5. ed., Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1981.
FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e terra, 1996.
FREIRE, P. Pedagogia da Esperança. Um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.
FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
GADOTTI, M. Boniteza de um sonho: ensinar-e-aprender com sentido. 2. ed. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2011. (Educação cidadã; 2).
IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. PNAD – Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, 2018. [online]. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18317-educacao.html. Acesso em: 17 abr. 2020.
IBGE: Brasil tem quase 52 milhões de pessoas na pobreza e 13 milhões na extrema pobreza. Portal G1. Disponível em: https://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2020/11/12/ibge-brasil-tem-quase-52-milhoes-de-pessoas-na-pobreza-e-13-milhoes-na-extrema-pobreza.ghtml. Acesso em: 20 jan. 2021.
LIBÂNEO. J. C. Didática. 31. reimpressão. São Paulo, 1994.
LIMA, B. A. Manual do Professor para a Cartilha Caminho Suave (Renovada e Ampliada). 2. ed. São Paulo: Caminho Suave, SD. p. 4.
MENEZES, E. T. Verbete método lancasteriano. Dicionário Interativo da Educação Brasileira - EducaBrasil. São Paulo: Midiamix Editora, 2001. Disponível em https://www.educabrasil.com.br/metodo-lancasteriano/. Acesso em: 25 mar. 2021.
MORTATTI, M. R. L. Cartilha de alfabetização e cultura escolar: um pacto secular. Cadernos CEDES (Impresso), Campinas, v. 20, p. 41-54, 2000 a.
PAIVA, J. M. Educação Jesuítica no Brasil. In: LOPES, E. M. T. et al. 500 anos de Educação no Brasil. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010, p. 43-60.
PAIVA, J. M. História dos Métodos de Alfabetização no Brasil. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/alf_mortattihisttextalfbbr.pdf. 2006, p. 1-16. Acesso em: 10. jan. 2020.
PEREIRA, M.G.S. Quem foi Branca Alves de Lima? Entrevista concedida a José Alex Trajano dos Santos e Mírian Warttusch. São Paulo, 28 jun. 2020.
RODRIGUES, A. M. S. Quadro comparativo dos métodos sintético, analítico, tradicional e construtivista. 08 maio 2018. Disponível em: http://www.diaadianaescola.com.br/quadro-comparativo-dos-metodos-sinteticos-analiticos-tradicional-construtivista/. Acesso em: 10 mar. 2020. Reorganizado por SANTOS, J.A.T. (2021).
SOARES, Magda. Alfabetização e Letramento. 6; ed., 6ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2014.
SOUSA, R. G. "Reformas Pombalinas". Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/historiab/reformas-pombalinas.htm. Acesso em: 25 mar. 2021.
WARTTUSCH. M. Faça-se ouvir a voz de Paulo Freire, 2019. (5m16s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=UVJwc4t2anA&t=127s. Acesso em: 10 jan. 2021.
Publicado
12-07-2021