O uso do origami na prática de professores que ensinam matemática: uma abordagem axiomática em construções geométricas

Anita Lima Pimenta, Eliane Scheid Gazire

Resumo


Este estudo faz referência a parte de uma pesquisa desenvolvida com 14 professores das áreas de Artes, Física, Pedagogia e Matemática, em uma escola da rede Municipal de Belo Horizonte. A escolha do público-alvo se deu por considerar que esses profissionais, em algum momento de sua prática pedagógica, ensinam Matemática, em especial a Geometria. O objetivo da pesquisa foi inserir a técnica do Origami em sala de aula, na expectativa de que, com sua abordagem axiomática, a aprendizagem da Geometria se tornasse mais significativa, proporcionando maior compreensão no estudo dos Poliedros Regulares, também conhecidos como Poliedros Platônicos. A fim de observar os benefícios na aprendizagem geométrica a partir das construções com Origami organizaram-se oficinas, divididas em três momentos. Ao final das atividades, os participantes responderam a um questionário contendo dez questões acerca das práticas realizadas nas oficinas. Os resultados mostram que há benefícios na aprendizagem geométrica com o uso dessa técnica. Ela traz consigo a arte de dobrar papel e se torna eficiente quando utilizada como um recurso didático nas aulas de diversas disciplinas que utilizam a Geometria com diferentes abordagens.


Palavras-chave


Geometria; Origami; Poliedros Regulares; Professores que ensinam Matemática

Texto completo:

PDF

Referências


BOGDAN, R. C., BIKLEN, S. K. Investigação Qualitativa em Educação, Porto: Porto Editora, 1994.

CAVACAMI, E.; FURUYA, Y. K. S. Explorando Geometria com Origami – Apostila OBMEP, 2010.

COSTA, E. M. Matemática e origami: trabalhando frações. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2007.

DANTE, L. R. Tudo é Matemática: 6ª série. São Paulo: Ática, 2015.

ENGEL. P. Origami: from Angelfish to Zen. New York: Dover, 1994.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos – Coleção Formação de Professores. 3.ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

GENOVA. C. Origami: a milenar arte das dobraduras. 3.ed. São Paulo: Escrituras, 2001.

KALEFF, A. M. M. R. Vendo e entendendo poliedros: do desenho ao cálculo do volume através de quebra-cabeças geométricos e outros materiais concretos. 2.ed. Niterói: Editora da UFF, 2003.

KANEGAE, M.; IMAMURA, P. Origami: arte e técnica da dobradura de papel. São Paulo: Aliança Cultural Brasil Japão, 1989.

LANG, R. J. Origami Geometric and Constructions. 2010. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2015.

MONTEIRO, L. C. N. Origami: história de uma geometria axiomática. 2008. 111 f. Dissertação (Mestrado em Matemática para o Ensino) — Universidade de Lisboa, Departamento de Matemática, Lisboa, 2008.

PRIETO, J. I. R. Matemáticas y Papiroflexia. Revista Sigma, n.21, p. 175-192, 2002. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2015.

RAFAEL, I. Origami. Educação e Matemática. Lisboa, n.114 p. 16-22, set./out. 2011. Disponível em: . Acesso em: 4 abr. 2015.

REGO, R. G.; REGO, R. M.; GAUDÊNCIO JR, S. A geometria do origami: atividades de ensino através de dobraduras. João Pessoa, PB: Editora Universitária da Universidade Federal da Paraíba, UFPB, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.