EFEITOS DE AGROTÓXICOS SOBRE O SISTEMA IMUNE: CONSIDERAÇÕES NO CONTEXTO DA PANDEMIA DA COVID-19 NO BRASIL

  • Eliane Novato-Silva
  • Jandira Maciel da Silva
  • Tarcísio Márcio Magalhães Pinheiro

Resumo

A contaminação dos alimentos por agrotóxicos acarreta inúmeros riscos para a saúde da população em geral e, mais particularmente, para os trabalhadores rurais expostos a esses produtos. Os efeitos deletérios se manifestam principalmente sobre os sistemas nervoso, geniturinário, digestivo, respiratório e imunológico, tendo sido associado ao aumento da incidência de doenças neurológicas, tumores, malformações congênitas, redução das respostas imunes humorais e celulares e muitos outros distúrbios. O Brasil é o líder mundial na utilização de agrotóxicos desde 2008 e, a partir de 2016, intensificou o registro de agrotóxicos. Em 2020, em plena pandemia da COVID-19, o número de liberações foi o maior desde o início da série histórica. Esse cenário, agravado pela fome, um fator de risco determinante para o desenvolvimento de estados de imunodeficiência secundária, expõe a população mais vulnerável a um aumento potencial do risco de desenvolvimento de doenças infecciosas, inclusive a COVID-19 e ao agravamento de comorbidades, que podem resultar em maiores dificuldades para o controle da pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
06-07-2021
Seção
SEÇÃO TEMÁTICA - ALIMENTAÇÃO E SOCIEDADE: AS DISCUSSÕES VÃO DO CAMPO ATÉ A MESA