EXCESSO DE PESO DE PACIENTES ATENDIDOS NUMA CLÍNICA ESCOLA DE NUTRIÇÃO E FATORES ASSOCIADOS

  • Amanda Palma Lopes
  • Fernanda Gonçalves Sette
  • Luciana Neri Nobre

Resumo

Na atualidade é comum a procura por atendimento nutricional para tratar doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), em Clínica-Escola de Universidades. A Clínica-Escola geralmente proporciona a seus pacientes um tratamento em ambiente com boa estrutura física, com respeito, responsabilidade, ética, humanização e oferece serviços gratuitos de boa qualidade. Objetivo: Traçar o perfil nutricional de indivíduos atendidos numa Clínica-Escola de Nutrição, identificar a doença mais comum e os fatores associadas a ela. Metodologia: Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo, retrospectivo e documental, realizado numa Clínica-escola de Nutrição, localizada no interior de Minas Gerais. A coleta de dados ocorreu nos prontuários dos pacientes atendidos na referida clínica no ano de 2017. Resultados: Foram analisados 190 prontuários. Observou-se predomínio de mulheres (72,2%), e grande parte com excesso de peso (48,4%). Os principais motivos pela procura para o atendimento nutricional foram perda de peso (n=71; 37,5%), seguido de reeducação alimentar (n= 64; 33,7%) e controle de comorbidades (n=21;11,1%). Metade dos pacientes faz uso de medicamentos de uso contínuo (n=96; 50,5%), dentre eles anticoncepcional (n=41; 42,7%), para distúrbios psiquiátricos como depressão e ansiedade (n=20; 20,8%) e para hipertensão e diabetes (n=12; 12,5%). Os fatores associados ao excesso de peso dos pacientes foram maior idade (RP=1,94; p-valor=0,00) e maior frequência de consumo de banha de porco (RP=1,44; p-valor=0,04). Conclusão: Grande parte dos pacientes que procuraram a Clínica-Escola estava com excesso de peso, e o principal motivo pela procura do atendimento nutricional foi para tratar esse problema. Ser mais velho e consumir banha de porco foram fatores associados ao excesso de peso.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
30-06-2021
Seção
SEÇÃO TEMÁTICA - ALIMENTAÇÃO E SOCIEDADE: AS DISCUSSÕES VÃO DO CAMPO ATÉ A MESA