FATORES DETERMINANTES E PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS AGRESSORES NO BULLYING ESCOLAR:

uma revisão integrativa

  • Natália Rosa Marques
  • Laryssa Tinoco Reis
  • Ana Luiza Medeiros Mota dos Reis
  • Ana Karynne Marques
  • Maria de Jesus Torres Pacheco

Resumo

O bullying no ambiente escolar é um problema mundialmente reconhecido, sendo necessário direcionar maior atenção ao enfrentamento dessa questão de saúde pública. Compreender como se desenvolvem os comportamentos violentos de crianças e adolescentes praticantes de bullying e atuar nesse contexto pode contribuir para evitar desvios de conduta em sociedade desses indivíduos quando adultos e diminuir a ocorrência do próprio bullying. O presente trabalho é uma revisão integrativa cujo objetivo geral consiste em avaliar os mecanismos que predispõem estudantes a se tornarem praticantes de bullying escolar. Os portais utilizados para pesquisa em base de dados foram: Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Pubmed (Medline), Scielo, Google Scholar e Portal CAPES. Os descritores de busca foram: bullying crianças; bullying adolescentes; bullying escolar. Foram selecionados 30 artigos para abordar os objetivos do trabalho. Foi evidenciado que o perfil de crianças e adolescentes do sexo masculino e inseridas em um contexto de negligência parental tem destaque entre os perpetradores do bullying escolar. Fatores como má qualidade de sono, bruxismo de vigília, alguns distúrbios externalizantes como o Transtorno Opositivo-Desafiador e Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade podem estar associados ao componente agressivo do bullying. O desengajamento moral e outras teorias do comportamento são apontados como possíveis mecanismos de construção dessa prática, por vezes associados a outras variáveis. Dentre fatores que atuam em conjunto (ou isoladamente) ao desengajamento moral, há a presença de sentimentos de vingança, hostilidade e raiva; necessidade de popularidade; exposição a videogames violentos; distanciamento em relação à vítima e diminuição da empatia; e um ambiente escolar não afetuoso. Dado que o bullying é um fenômeno multifatorial e complexo, é importante considerar os momentos mais oportunos para realizar intervenções direcionadas entre crianças e adolescentes, além de construir estratégias continuadas de prevenção.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
03-07-2022
Seção
ARTIGOS/ARTICLES