O PNUMA e suas limitações para a governança ambiental internacional

  • Ana Flávia Araujo de Abreu Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Béthany Oliveira Nascimento Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Bruna Pereira Faustino Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ Universidade Federal de Minas Gerais
  • Gil Freitas Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Palavras-chave: bens comuns, governança ambiental, PNUMA, ONU

Resumo

Este artigo discute o papel do PNUMA, o Programa das Nações Unidas para tratar as questões ambientais, tendo como objetivo analisar sua eficácia na coordenação da governança ambiental e investigar as dificuldades encontradas pelo mesmo para cumprir seu papel. Ainda não há um consenso sobre o seu desempenho, portanto, para verificar as limitações e dificuldades enfrentadas pelo Programa em estabelecer mecanismos de coordenação de governança ambiental, será discutida a governança de bens comuns, bem como o histórico do PNUMA e sua eficácia a partir da comparação entre os objetivos traçados no mandato do programa e os resultados obtidos nas últimas décadas. Será verificado que ainda são encontrados diversos obstáculos, internos e externos à sua estrutura, que interferem em seu desempenho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Flávia Araujo de Abreu, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Relações Internacionais.
Béthany Oliveira Nascimento, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Relações Internacionais
Bruna Pereira Faustino, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ Universidade Federal de Minas Gerais
Relações Internacionais/ Gestão Pública
Gil Freitas, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Relações Internacionais
Publicado
25-07-2016
Como Citar
Araujo de Abreu, A. F., Oliveira Nascimento, B., Pereira Faustino, B., & Freitas, G. (2016). O PNUMA e suas limitações para a governança ambiental internacional. Fronteira: Revista De iniciação científica Em Relações Internacionais, 11(22), 141-169. Recuperado de http://seer.pucminas.br/index.php/fronteira/article/view/10071