http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/issue/feed Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas 2021-07-02T08:55:36-03:00 Javier A. Vadell estudosinternacionais@gmail.com Open Journal Systems <p><strong>Estudos Internacionais</strong>&nbsp;- Estudos internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas é uma publicação quadrimestral do Programa de Pós-graduação em Relações Internacionais, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, classificada como B2 no QUALIS de sua área "Ciência Política e Relações Internacionais" (Plataforma Sucupira - CAPES-Brasil, 2013-2016).</p> <p><strong>Missão</strong>: Estudos Internacionais tem por missão veicular trabalhos científicos que contribuam para o avanço da pesquisa, especialmente na área de Relações Internacionais, da formação acadêmica crítica e integral, aberta ao diálogo, à perspectiva interdisciplinar e à pluralidade de ideias.</p> <p><strong>Estudos Internacionais</strong>&nbsp;- Estudos internacionais: PUC Minas International Relations journal - is a quarterly journal published by the Post-Graduate Program in International Relations - of the Pontifical Catholic University of Minas Gerais, rated B2 at QUALIS/CAPES, in its area "Political Science and International Relations" <span style="display: inline !important; float: none; background-color: transparent; color: #000000; cursor: text; font-family: 'Noto Sans',Arial,Helvetica,sans-serif; font-size: 14px; font-style: normal; font-variant: normal; font-weight: 400; letter-spacing: normal; orphans: 2; text-align: left; text-decoration: none; text-indent: 0px; text-transform: none; -webkit-text-stroke-width: 0px; white-space: normal; word-spacing: 0px;">(Plataforma Sucupira - CAPES-Brazil, 2013-2016).</span></p> <p><strong>Mission</strong>: Estudos Internacionais aims to convey scientific papers that contribute to the advancement of research, particularly in the area of International Relations. Its main purpose is to provide a critical and integral education, open to dialogue, to interdisciplinary perspective and to the plurality of ideas.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/26515 Edição Completa 2021-07-02T08:46:49-03:00 Estudos Internacionais estudosinternacionais@gmail.com <p>Estudos Internacionais</p> 2021-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/26514 Páginas Iniciais 2021-07-02T08:48:02-03:00 Estudos Internacionais estudosinternacionais@gmail.com <p>Estudos Internacionais</p> 2021-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/22558 From Latin American International Political Economy to Latin American Global Political Economy 2021-07-02T08:48:58-03:00 Ernesto Vivares eavivares@flacso.edu.ec Raúl Salgado Espinoza rsalgado@flacso.edu.ec <p>This paper focuses on the differences between International Political Economy (IPE) versus Global Political Economy (GPE) in Latin America. It explores how IPE tends to be taught and researched beyond mainstream IPE but in dialogue with it. It engages with the main literature of this field to discuss the contours and extension of a transition in teaching and research. It rests upon a historical sociological approach and employs a qualitative analysis of syllabi and curricula of various masters and doctoral programs on International Relations/Studies and underlying disciplines, and is complemented with semi-structured interviews with leading scholars of IPE from across the region. The paper argues that there is a shift from mainstream IPE to a new Latin American GPE as the result of a revitalization of the field and as a response to the new regional and global challenges. New dynamics of development, conflict and a changing world order coexist with old problems, pushing our field to find new responses, demonstrating the limits of the traditional knowledge, and requiring the development of new contributions. While the shift may be minor, it is constant and steady, and is neither homogenous nor dominated by a unique vision of the field, but it is defined by heterogeneity and plurality.</p> 2021-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/23135 Abrindo a caixa de ferramentas foucaultiana: delineando a governamentalidade global enquanto instrumento analítico das Relações Internacionais 2021-07-02T08:49:52-03:00 Natali Hoff natali.hoff@gmail.com Ramon Blanco blanco.ramon@gmail.com <p>O presente artigo apresenta e delineia as contribuições do estudo sobre a governamentalidade global para a compreensão do ordenamento da política internacional ao dar ênfase para as relações existentes entre as racionalidades políticas e práticas de governo presentes no espaço internacional. Tendo em vista esse objetivo, essa pesquisa se desenvolve por meio da uma abordagem qualitativa por meio da Análise Bibliográfica, de modo que possa ser observado como a ideia de governamentalidade global possibilita um entendimento mais alargado sobre os processos, práticas, instituições e racionalidades políticas presentes no<br>cenário internacional. Entende-se que a ideia de governamentalidade aplicada à análise do espaço internacional possibilita o seu estudo como um domínio socialmente incorporado, composto por práticas e racionalidades orientadas para objetivos específicos. Por conseguinte, a compreensão da organização da<br>política internacional perpassa pela observação das mentalidades, das práticas e dos mecanismos ordenadores que a compõem e incidem sobre os seus atores.</p> 2021-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/22451 O Tio Sam de olho no Brasil: análise da visão dos think tanks estadunidenses sobre a política externa brasileira nos BRICS (2009-2016) 2021-07-02T08:51:39-03:00 Luciana Wietchikoski wietch.luciana@yahoo.com.br <p>O presente artigo analisa as representações dos think tanks estadunidenses a respeito da atuação internacional do Brasil através do BRICS durante as presidências de Lula da Silva e Dilma Rousseff. Entre os anos de 2003 a 2016 o Brasil desenvolveu uma política externa voltada a elevar sua relevância internacional. Como uma das estratégias centrais utilizadas para ampliar sua participação nas principais decisões de cunho multilateral bem como firmar-se como liderança do Sul Global, o país se envolveu na formação, com outros atores intermediários e reemergentes, do BRICS. Marcando uma grande inovação das relações internacionais no início do século XXI, a coalizão passou a ser uma referência à identificação das intenções e do potencial de influência desses novos atores no sistema internacional. Nesse contexto, buscamos reconhecer quais foram as opções estratégicas em relação a atuação do Brasil através do BRICS circulantes no ambiente político dos EUA, particularmente junto aos think tanks. A partir da análise de conteúdo verificamos que, para a grande maioria dos articulistas, o Brasil foi definido com um ator pouco comprometido com a manutenção do ordenamento internacional. Segundo essa visão, o Brasil questionava a posição dos EUA e atuava ao lado de países violadores dos direitos humanos e da democracia.</p> <p>&nbsp;</p> 2021-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/22595 Debates y decisiones sobre migración en el Mercosur y en el TLCAN 1990-2019: una reflexión desde la participación de Argentina y de México en procesos de integración regionales 2021-07-02T08:53:05-03:00 María del Pilar Ospina pilar.ospina@ucp.edu.co Emiliano Nicolás Gissi Barbieri ngissi@uchile.cl <p>Este artículo tiene como objetivo hacer una revisión sobre las migraciones en perspectiva histórica y comparada entre 1990 y 2019, del Mercado Común del Sur (Mercosur) y del Tratado de Libre Comercio de América del Norte (TLCAN). El Mercosur y el TLCAN son dos de los más importantes modelos de integración regional en los que participan México y Argentina. Aunque estas iniciativas han evolucionado de manera distinta, ambas se ajustan a lo que se ha denominado integración económica en el marco del nuevo regionalismo, producto de las transformaciones políticas y económicas globales de mitad de la década de 1980. El contexto y el punto de partida de estos acuerdos son algunos de los elementos que tienen en común, sin embargo, sus formas de abordar las decisiones migratorias, han sido distintas. En el Mercosur, se fortaleció desde el 2000 al 2015, la inclusión de decisiones sobre migración como parte de la integración económica y política del bloque; al contrario, en el TLCAN, hay una separación entre un acuerdo económico y un acuerdo migratorio; entre la libre circulación de bienes y mercancías y la libre circulación de personas y de trabajadores.</p> 2021-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/23585 A Belt and Road Initiative: uma análise sobre a projeção global da China no Século XXI 2021-07-02T08:53:55-03:00 Ricardo Lopes Kotz ricardo.kotz@gmail.com Helton Ouriques helton.ricardo@ufsc.br <p>O presente artigo analisa o papel geoeconômico dos investimentos estrangeiros diretos da China para a execução da Belt and Road Initiative (BRI), o principal conceito de política externa do mandatário Xi Jinping. Para isto são propostos dois horizontes temporais que permitem realizar uma análise conjuntural acerca<br>da inserção internacional da China: 40 anos e 20 anos. Estes recortes temporais abrangem o processo de reformas e abertura, à partir de 1978, passando pela projeção global dos investimentos chineses com a estratégia Going Global e que resulta atualmente na Nova Rota da Seda, ou Belt and Road Initiative. Os<br>principais resultados da pesquisa sugerem que embora tenha surgido como um plano para a construção de infraestrutura através da Eurásia, a BRI se tornou um amplo conceito para se compreender a posição da China no sistema internacional, sobretudo na condução de suas relações com outros países emergentes.<br>Os recortes temporais analisados representam uma continuidade na trajetória político-estratégica da China e visam à obtenção do seu principal objetivo de Estado: a continuidade do seu desenvolvimento econômico. O aporte teórico da geoeconomia é importante, neste trabalho, para compreender a implementação e consolidação da BRI através da emissão de investimentos estrangeiros diretos.&nbsp;</p> 2021-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/22015 Formação e reforma do sistema monetário internacional: aspectos teóricos e o caso dos acordos de Bretton Woods 2021-07-02T08:54:47-03:00 Adriano Vilela Sampaio adrianovs@id.uff.br <p>O artigo tem como foco a formação e transição do sistema monetário internacional (SMI) e tem como principal objetivo analisar, a partir da perspectiva neogramsciana, os fatores que permitiram a ampla reformulação do SMI nos Acordos de Bretton Woods. Buscou-se na Economia Política Internacional (EPI) um arcabouço teórico que permitisse entender a formação e estabilidade do SMI a partir de uma análise integrada entre economia e política. De acordo com a abordagem neogramsciana, mudanças no equilíbrio de poder não necessariamente implicam mudanças nos regimes internacionais, pois o estabelecimento de uma hegemonia internacional se faz necessário. Argumenta-se que o sucesso dos Acordos de Bretton Woods em promover uma profunda mudança no SMI não se deveu somente à excepcionalidade do momento pós-guerra e à liderança dos Estados Unidos (EUA), mas também ao processo de mudanças sociais, políticas e econômicas que tomou forma nas décadas anteriores e culminou em uma nova hegemonia internacional. É defendido também que embora a crise de 2008 tenha gerado um momento propício a mudanças e que tenha havido reformas em elementos importantes do SMI, mudanças profundas no sistema só viriam com uma transição hegemônica, algo ainda fora de perspectiva.</p> 2021-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas http://seer.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/23149 A mudança institucional da OTAN no pós- Guerra Fria: uma análise da evolução do Conceito Estratégico a partir do modelo de Mahoney e Thelen 2021-07-02T08:55:36-03:00 Vlademir Monteiro vlademir.monteiro@hotmail.com <p>Este artigo discute o impacto da reformulação, no pós-Guerra Fria, do Conceito Estratégico no arcabouço normativo da OTAN. O Conceito Estratégico prescreve as diretrizes e as práticas que norteiam a conduta da organização. Desde o desmantelamento da ordem bipolar, foram elaborados três documentos desse tipo – um em 1991, outro em 1999 e o mais recente em 2010 e cada um deles introduziu novidades no tocante à função, o escopo e área de atuação da Aliança Atlântica, enquanto também preservou outras regras. Diante do exposto, pretende-se explicar esse processo sob a ótica do estudo de Mahoney e Thelen acerca da mudança institucional. O objetivo é analisar como o CE impacta a trajetória evolutiva da entidade e como os conflitos de interesses nos quais sua elaboração se insere formatam o conteúdo de cada versão e o tipo de mudança. Em termos metodológico, o trabalho se estrutura como um estudo de caso único, que recorre ao exame de documentos oficiais e o uso de fontes secundárias. Entre os resultados, se constata que a trajetória de mudança na OTAN é marcada por revisões substanciais em suas atribuições funcionais e uma dilatação de seu alcance geográfico.</p> 2021-06-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas