“UM PINGO DE FEIJÃO EM UMA PANELA DE ARROZ”: RACISMO, TRAJETÓRIAS E PERSPECTIVAS DE MULHERES NEGRAS NO PODER JUDICIÁRIO

  • Priscila Silva Ximenes Machado Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL
  • Adílio Renê Almeida Miranda Unifal
  • Alicia Madrid Cesar Rezende
  • Joice Zentner de Brito
Palavras-chave: Raça, Gênero, Mulheres Negras, judiciário

Resumo

Dentro das discussões sobre a questão racial no Brasil, pode-se observar como temática emergente a discrepância representativa nos espaços e posições de poder ocupados por pessoas negras, principalmente, mulheres. Nesse sentido, o presente artigo visa compreender a trajetória de mulheres negras do judiciário brasileiro, no que se refere às vivências de racismo, conquistas e barreiras enfrentadas. Para tanto, foi realizada uma pesquisa qualitativa por meio de entrevistas semiestruturadas. Os relatos apresentados sobre a fase acadêmica e no exercício da profissão no judiciário mostram como a sensação de não pertencer a determinado espaço faz parte da vida dessas mulheres. As experiências vividas dentro do judiciário apontam situações de racismo vividas pelas entrevistadas, muitas vezes de maneira velada, outras de forma mais ostensiva. Os achados da pesquisa contribuem para se pensar sobre a necessidade de uma mudança estrutural no judiciário, no que se refere às questões raciais, não apenas por meio de política de cotas raciais, mas, sobretudo, com criação de espaços de discussão e debates sobre o racismo institucional no poder judiciário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adílio Renê Almeida Miranda, Unifal

Professor da Unifal-MG

Doutor em Administração pela UFLA

Alicia Madrid Cesar Rezende

Mestranda em Gestão Pública e Sociedade pela Unifal

Joice Zentner de Brito

Mestranda em Gestão Pública e Sociedade pela Unifal

Publicado
30-09-2021
Seção
Artigos